Lua nova

Em tese, não é difícil escrever uma história: a narrativa começa com os personagens de um jeito, eles passam por várias situações e, no final, eles estão de outro jeito – e é nesse sentido que Lua Nova, o segundo filme da saga Crepúsculo, consegue a proeza de ser um exemplo raro de filme de duas horas em que não acontece nada.

Para resumir a história: depois do primeiro filme, quando Bella se apaixonou por um vampiro que brilhava no sol e atuava mal, ela e seu namoradinho vivem felizes até o dia em que o branquelo resolve, por alguma frescura, dar um pé na bunda dela. Na ausência dele, Bella resolve se envolver com um nativo-americano até descobrir que ele era um lobisomem – e isso leva mais ou menos uma hora de filme. No final, depois de mais de uma porção de coisas sem relevância, ela volta com o vampiro, sendo que nenhum dos problemas do começo do filme é resolvido. Fim. Continua...