Bruno

Bruno (2009) Dir: Larry Charles. Com Sacha Baron Cohen e dezenas de outras pessoas. 81 min.

Uma das tantas polêmicas que cercou Borat (2006) era se as entrevistas que Sacha Baron Cohen havia feito para o filme eram verídicas ou encenações. Eu nunca me incomodei com esse detalhe, porque acho que o filme funciona muito bem de qualquer jeito, já que a face preconceituosa dos americanos contra o resto do mundo não precisa de muito ensaio para aparecer.

Mas essa discussão entre verdade ou encenação volta a tona em Bruno, outro personagem de Sacha: diferente da primeira vez, todas as pessoas que surgem na tela parecem estar encenando, e aí fica mais difícil achar graça num humor de constrangimento numa situação em que ele é forçado.


Além disso, Bruno é um personagem bem inferior a Borat, sendo um tipo gay estereotipado ao extremo que quer ser famoso a qualquer custo, e por isso decide fazer alguma obra de caridade, e o que se vê é um desfile de piadas pouco inspiradas, além da mesma estrutura do filme anterior (parceiros se separam por algum motivo e depois reatam). A impressão final é de que Bruno é uma cópia de Borat feita por alguém bem menos talentoso.




Um comentário:

Nathy disse...

Gosto das suas criticas de filme. Comprei alguns filmes hj, mas esse ainda não vi e não comprei. Vai ficar na lista. Beijos!