Bolt - Supercão

Bolt (2008). Dir: Byron Howard. Vozes originais de John Travolta e Hanna Montana (ou Miley Cirus, eu sei lá). 96 min.

Os primeiros quinze minutos de Bolt são ótimos, porque tiram um sarro legal dos filmes de ação e da indústria sanguinária do mercado de séries americano. Mas daí o Bolt, o cachorro com super-poderes no seriado, se perde de sua dona, vai parar em Nova York, e os outros 75 minutos do filme são uma mistura descarada de Toy Story com Bingo – esperto pra cachorro. O roteiro é previsível: o cachorro cruza os Estados Unidos embalada por uma canção da Hannah Montana, descobre que não tem super-poderes, acha que a dona o trocou por outro, vocês sabem. Na cena em que ele percebe que é um cachorro comum, achei que fosse dizer “eu sou apenas um brinquedo feito em Taiwan”.

Mas Bolt é, acima de tudo, um filme sobre um cachorrinho fofinho perdido e vários coadjuvantes engraçados – e a Disney sabe como nós todos adoramos isso. Não é um filme da Pixar (eu e minha paixão por filmes da Pixar), mas as crianças que estavam na mesma sala que eu até aplaudiram no final – prova de que o público alvo não eram universitários-exigentes-com-blogs-de-crítica-de-cinema. Não vai ser a diversão da vida de ninguém – mas vai ser divertido.

Nenhum comentário: