A vida é uma graça - Rosana

Fiquei um tempo sem atualizar essa seção, mas voltei com uma pedrada.

Nasci em 1987, ano dessa gravação, e sinceramente estou morrendo de vergonha disso agora. Os anos 80, como vocês sabem, são a década do cabelo cheio, de uns pedaços a mais do corpo à mostra e muita, muita farofa no mundo da música. Então eu trouxe essa maravilha que é Rosana cantando O amor e o poder - amplamente conhecida como Como uma deusa - num Fantástico perdido daquele ano;

Fuçando a internet, eu descobri que este lixo não é uma criação genuina nacional, e sim uma versão de uma canção australiana chamada The power of love, de uma velha chamada Suzanne Clachair (que raio de nome é esse), e que vocês podem ouvir aqui. O grande ponto então, é perceber como o Brasil conseguiu pegar uma canção cafona e, colocando toques de mitos amazonicos e ritmos folclóricos e flautas dos países andinos, deixa-la cretinamente ridicula.

E falar da sensualidade de Rosana no clip é o mesmo que falar da atração que eu e você sentimos por uma parede de chapisco cinza.



3 comentários:

crap disse...

eu sempre me pergunto: anos 80, o que foi aquilo?

Arthur Malaspina disse...

Opa... pior é que anos depois ela foi no Ratinho e mostrou uma "nova" versão dessa pérola, com batidas afro ou coisa assim... hilário...

Mayra Berto Massuda disse...

A Rosana voltou a cantar sabia? ela anda fazendo turnê no exterior e agora gravou uma musica pra uma novela X junto com o Rodrigo Faro...
os anos 80 marcaram mesmo a história da música, dos cabelos chitaozinho e xororó e das ombreiras ehhehehe
ah... e a Rosana consegue estar mais esticada que a Hebe... ela nem para mais de sorrir...