Ensaio sobre a cegueira

Blindness (2008). Dir: Fernando Meirelles. Com Gael Garcia Bernal, Juliane Moore, Danny Glover, Mark Rufallo. 121 min.

Eu tenho várias formas de avaliar se um filme é bom ou não, mas tem uma que é infalível. Se um filme for capaz de me fazer sentir mal, significa que ele é ótimo. Já adianto, então, que Ensaio sobre a cegueira me deu um belo nó na garganta.

Adaptação de livro do Saramago (que eu não li, mas que fiquei curioso agora) e dirigido pelo Fernando Meirelles (de Cidade de Deus, que para mim é o melhor filme nacional já feito), o filme traz a história de uma epidemia de cegueira que toma conta do planeta; os primeiros cegos, contudo, são mantidos em quarentena a principio, num grande prédio abandonado. O que se segue disso é um jogo bastante complexo: de um lado, há a metáfora clara, mas nem por isso frágil, sobre como nós "enxergamos" o mundo sem "vê-lo" propriamente, sempre rodeados de preconceitos contra os outros. Do outro, existe praticamente um filme de terror.

Provavelmente essa não é a melhor apreciação do filme, mas foi o aspecto que mais me chamou a atenção: em alguns momentos, eu achei estar vendo um filme de zumbis, num daqueles climas de Apocalipse. A situação do grupo da quarentena é arrepiante, e não são poucas cenas de uma beleza estética e macabra ao mesmo tempo. Metafórico ou não, Ensaio é um baita filme - daqueles que eu vou ficar uns bons anos sem assistir outra vez.


Nenhum comentário: