Harry e eu

Desde segunda-feira eu estou lendo a minha cópia de Harry Potter and the Deathly Hallows, que eu fiz questão de comprar (afinal, emprego além de cansaço e gratificação pessoal dá dinheiro) para não repetir o mesmo erro de leitura de Enigma do Príncipe: maltratar meus olhos na frente de uma tela e assassinar todo o plano de leitura, cortando os diálogos e buscando ação, ação, e vamos-ver-logo-quem-morre.

Fazer a mesma coisa com o Harry derradeiro seria, além de uma grande bobagem, uma ingratidão: tia Rowling deve ter trabalhado como uma doida nos últimos dez anos para que nós lessemos cada linha com atenção, e assim eu aproveito o último livro como aproveitei o primeiro, lá na minha sétima série.

Estou na metade ainda do livro – e queria dizer que o final parece meio óbvio. Isto é justamente o contrário de todos os outros, em que a gente caminhava aflito e na escuridão juntando pistas para desvendar o mistério – quem ia roubar a pedra, quem abriu a câmara, quem traiu os pais de Harry, quem venceria o torneio, como seria o retorno de Voldemort, quem era o príncipe.

Por causa disso, Rowling investiu no outro lado da moeda – e deixou aflita foi a trajetória até o final: há um clima de que tudo vai dar absolutamente errado, que a agonia dos personagens será eterna, e estão todos tão imersos em problemas que a gente julga impossível um final feliz. Acreditamos que tudo pode acontecer e ficamos na expectativa de como vai acontecer – a maior das mágicas de Rowling então não é criar uma narrativa consistente, mas manipular nossas mentes quando elas pareciam mais do que vacinadas.

(quando eu terminar eu escrevo mais – se falar de nada da trama, lógico)

5 comentários:

T.S.A. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
T.S.A. disse...

Pra mim esse foi o melhor livro da série. E não deixou de surpreender muita gente com o final que ela deu. Pelo menos eu gostei de muitas atitudes maduras do Harry.

Comecei a curtir Harry Potter em Abril desse ano, e corri pra ler tudo a tempo de aproveitar o último livro, valeu a pena. Foi uma turma que me acolheu nesses três meses potterianos.

P.S.: te encontrei no 4 patacas. :)

Bárbara disse...

Tô curiosa pra ler esse livro, apesar de ter "estacionado" no 5º livro e de já saber o final. Já fui muito fã da história, mas não sei o que me aconteceu que perdi a empolgação de ler os livros da "tia Rowling". :)
Um abraço!
P.S.: Adorei o comentário lá no blog! :)

Arthur Malaspina disse...

Ohhh.... queria ler...mas só em novembro.. q saco...haahhahaha.... bom fim de leitura pra vc!! e já sabe...contou, morreu!!!

Thiago Augusto Corrêa disse...

Todo mundo morre no final, dai desce uma nave alienigina e a gente descobre que na verdade os pais do Harry são ets,dai ele vai com os dois pro planeta deles. E o Rony fica tão chateado que vira um go go boy famoso na night Inglaterrence. Dai a Gina e a Hermione como tão sobrando dão inicio a primeira relação juvenil lesbica em livros infanto/juvenis.

É um final bem da hora!!