Docência e decência

Tudo bem que os médicos salvam vidas, os engenheiros montam as casas, os cientistas colaboram para um futuro melhor, mas ninguém bate um professor: está para raiar o dia em que transmitir seu próprio conhecimento para a melhoria da vida dos outros vai deixar de ser umas das coisas mais bonitas do mundo.

Não lembro exatamente quando eu decidi ser professor, mas foi por esses tempos que eu percebi a importância da minha escolha: o dinheiro que eu ganho é minha recompensa física – quase mundana – porque o que me vale mesmo é ver um semblante abrindo porque compreendeu, graças ao meu esforço, que o verbo muda de lugar na pergunta e que a mesma palavra pode significar "ver" ou "namorar". Ser professor não é um emprego, é uma honra.

3 comentários:

Bárbara disse...

Sou uma profunda admiradora dos meus professores. Amam o que fazem e acabam mostrando esse sentimento quando estão dando aula. Fico encantada com isso. É muito raro, hoje em dia, você ver alguém trabalhar com tanta paixão.

E acredito que você não seja muito diferente dos meus professores. Por isso, meu caro amigo, meus parabéns! Já te admiro muito! Sem dúvida, ser professor é uma honra!

Tenho tão grande simpatia por esses profissionais que não consigo descrevê-la como gostaria, portanto vou parar por aqui. Um grande abraço!

Rafael disse...

Tenho certeza que você será, ou melhor, já é, um grande professor!!!

Arthur Malaspina disse...

Que bom ver que existem pessoas que ainda fazem letras por prazer!

Muito bom Vini!!