Da greve

Lógico que greve não é um negócio bacana, mas é necessário. Com todo mundo quietinho, balançando a cabecinha e sacudindo o rabinho, nem Governo toma providência, nem a sociedade fica sabendo, nem nada acontece. Assim, nada melhor do que uma boa protestada para mostrar os problemas que existem e exigir as melhores soluções, mesmo que se saiba que elas serão atendidas só em partes. Natural que nem todos os estudantes são a favor das greves universitárias, especialmente quando existe envolvimento de partidos políticos nos movimentos e reivindações que são de uma meia-dúzia, não da maioria. Este tipo de situação são os entraves internos que precisam ser resolvidos sempre com urgência, já que é justo isso que enfraquece os movimentos.

A televisão e os jornais fizeram a greve parecer um movimento de baderneiros e vagabundos que queriam um lugar bonito para morar por uns dias, gastando o nosso dinheiro público – que é a muleta usada contra qualquer forma de protesto, o nosso-dinheiro-público. É justo sobre o nosso dinheiro público mal usado que as greves se insurgem – e aí cabe a população ficar brava também porque o nosso-dinheiro-público está sendo usado como o nariz em hospitais, transportes, educação, etc. Os estudantes não gritam dentro de uma bolha, mas numa das ruas desta grande cidade chamada incompetência dos governos. A greve dos universitários não foi um primor de andamento e concepção, mas serve de exemplo para as pessoas deixarem suas casinhas e reclamarem, mas reclamarem bastante.

4 comentários:

Strange Little Girl disse...

Oi, td bom? Eu mudei o end do meu blog pra http://www.strangelittlegirl3.blogspot.com/. Só agora consegui escrever uns textinhos, tô esperando as férias para fazê-lo voltar à vida!

Beijos

Bárbara disse...

Palmas para o seu texto! Realmente, as pessoas estão cada vez mais acomodadas com a sujeira que está o nosso país. É tanto absurdo que nada mais as espanta, e como conseqüência, elas acabam achando que tudo isso já faz parte do nosso cotidiano. A pior coisa que pode acontecer ao ser humano é ele acostumar-se com o que é ruim. Talvez por isso nosso país esteja a porcaria que está. Mas acredito na mudança!

Quero falar também sobre o seu comentário lá no blog. Sabe, eu mudei de idéia em relação aos elogios: eles são bons, sim! Estava mesmo precisando daquelas suas palavras, perdi mais um concurso de textos, e atribuí à perda o meu vocabulário simples. Mas o que você escreveu me impulsionou a continuar tentando e a não desistir. Valeu, mesmo!

Um abraço!

Arthur Malaspina disse...

Realmente a imagem da greve fora do meio universitário é no mínimo ridícula....

Rafael disse...

Bom, não sei como é aí na Unesp, mas eu garanto que aqui na USP os sindicatos, associações e diabo a quatro se resumem a um bando de maconheiro do PSTU e PCO, que só querem saber de aparecer na mídia... Até porque, nada mais justo do que justificar o gasto do dinheiro público, motivo principal que levou a essa greve. Funciona assim em todos os lugares, porque só na Universidade que pode-se fazer o que quiser com a grana do povo???