Mutantes

Agora que eu consegui por as mãos – bem dizer, os ouvidos – no show dos Mutantes gravado em Londres no ano passado, já dá para dizer que eles foram alçados a condição – ao menos por esses tempos – de minha banda favorita. E explicar isso é mais ou menos como tentar convencer alguém de que farofa com miojo é gostoso: há toda uma resistência ao que é diferente, e os Mutantes estão ali, na linha fina do genial e do sem sentido – mas isso depende bastante do ponto de vista. Levando em conta as melodias surpreendentes e as letras brilhantes (as vezes de uma inteligência bárbara, as vezes de um sem pé nem cabeça ainda mais fantástico), eu fico do lado dos que defendem que Sergio e Arnaldo Dias (mais a contribuição bem-vinda da Zelia Duncan, no lugar da tia Rita Lee) são só a melhor banda brasileira da história.

Para quem quer conhecer (e dizer depois, "nossa, que coisa estranha"): "Panis et Circenses", "Batmacumba", "Technicolor", "Caminhante Noturno", "Baby", "Top Top", "Ando Meio Desligado" e por aí vai.

2 comentários:

Bárbara disse...

De todas essas músicas, eu só conheço "Ando Meio Desligado"... Legal você ter uma banda preferida. Eu não tenho nenhumazinha. Tava justamente pensando nisso essa semana. Tenho uma amiga que adora o Renato Russo, conheço outra que é fã de Chico Buarque, mais uma que é louca pela Jennifer Lopez... Já eu... Só sei que adoro as músicas dos anos 80, mas nenhuma banda em especial.
Um abraço!

loira disse...

o mutantes original era genial, minha banda preferida tb... isso ai agora tah mto tosco.... eh tentar ressuscitar cadaver de 7 dias... enfim... tem gosto pra td....