Harry e Rowling

Por uma dessas coisas do Carnaval, eu comecei a ler outra vez Harry Potter e a Pedra Filosofal, depois de mais de 7 anos da primeira vez. Pretendo ler tudo outra vez até o lançamento de Deathly Hallows em julho, mas duvido que dê tempo.

Salvo umas mensagens de companheirismo, luta pelos sonhos e humildade, a verdade é que
Harry Potter não ensina quase nada ao leitor, não levantando qualquer tipo de questionando que induza a reflexão. Por outro lado, a obra da tia Rowling é uma trama como poucas, que consegue ser inventiva, divertida, ter personagens absolutamente carismáticos e, acima de tudo, uma capacidade de prender o leitor com uma narrativa bem construída e intrigante. Sendo assim, não importa muito se no fim dos livros a gente se põe a pensar no destino de Harry e não em alguma questão ideológica levantada, porque esse não era, definitivamente, o intuito do livro. As portas da derradeira aventura, já é mais do que justo dizer que Rowling criou uma obra-prima da literatura descompromissada, feita unicamente para entreter sem precisar de expedientes polêmicos como Maria Madalena e o que seja. Harry não vai para o cânone literário, mas sua presença na estante de muita gente para sempre é uma aposta certa.


2 comentários:

Ariadne Celinne disse...

Eu nem vou inventar de reler Harry Potter...
huauhahuahu
não vou arriscar :x
rs..
ainda mais qdo josé de alencar e lima barreto me esperam :x
mas eu amo harry Potter, já fui extremamente fã, agora sou apenas fã né.
Não podemos esquecer q nos conhecemos graças a tia JK!
xD

Strange Little Girl disse...

Eu adoro a literatura descompromissada! Já adorei Harry Potter, hoje não tenho mais tanto interesse. Esqueci quase toda a história. Até tenho alguma vontade de reler todos os livros, mas existem tantos outros me esperando! De qualquer forma, eu gosto muito da série, ela foi uma das responsáveis pela minha vontade de ler!

Beijinhos