Amor sem escalas

Nos seus três filmes mais famosos – Obrigado por fumar, Juno e Amor sem escalas – o diretor Jason Reitman faz a mesma coisa: tornar situações potencialmente controversas em coisas adoráveis, como a defesa da indústria do cigarro ou a opção sem remorso de entregar para adoção um filho indesejado. Nos filmes em que banca um sujeito cínico e ácido, George Clooney consegue se redimir de todos os seus pecados, porque sua imagem de bonitão e boa gente sempre prevalece. Ator e diretor, portanto, eram duas almas gêmeas esperando para se encontrar.

Em Amor sem escalas, Ryan Bingham (Clooney) é o funcionário de uma empresa cujo serviço oferecido é demitir pessoas para grandes companhias, evitando os embaraços e ataques de raiva dos funcionários. Feliz com sua vida de viagens sem parada... Continua.

Onde vivem os monstros

A cabeça de uma criança é um negócio assustadoramente complexo, se a gente considerar que, com uma quantidade limitada de experiência e conhecimento de mundo, elas precisam se virar para elaborar conceitos e se encaixar em um ambiente dominado por adultos. É mais ou menos como se você conhecesse, no máximo, 100 palavras de uma língua e fosse forçado a se mudar para outro país.

Em Onde vivem os monstros, Max é um menino cheio de criatividade que passa pela fase difícil de manter a atenção da mãe e da irmã. Em um dia particularmente ruim, ele acaba fugindo e vai parar em uma ilha repleta de grandes criaturas peludas. Continua...